Cerco de Jericó

“Logo que o povo, ao ouvir a trombeta, deu seu grito, desabaram de repente as muralhas.” Josué 6,20.

            Após muitos anos de travessia no deserto, rumo à terra prometida pelo Senhor, o povo de Israel precisa continuar sua caminhada. Josué sucede Moisés na posição de líder. À frente, a cidade de Jericó, que precisa ser tomada. Cercada por grandes muros, Josué e toda a liderança israelita encontra grande dificuldade para que tal missão seja bem sucedida. O Senhor Deus, então, ordena a Josué que a cidade seja rodeada por seis dias e seis noites, tendo à frente a arca da aliança e sete sacerdotes munidos de trombetas feitas de chifres de carneiro. E que no sétimo dia, durante sete voltas que se dessem ao redor da cidade, as trombetas fossem tocadas, afim de que os muros desabassem. Josué e o povo foram obedientes. E o Senhor cumpre sua promessa! No sétimo dia, ao toque das trombetas, quando os ouvidos eram incomodados por tamanho rumor, as muralhas de Jericó vêm abaixo, possibilitando a entrada do povo de Deus na cidade e sua conquista.

            Irmãos e irmãs, certamente esses dias que antecederam a tomada da cidade de Jericó, foram de muita oração do povo de Deus, que confiou em sua promessa. E é justamente neste sentido, de oração e confiança em Deus, que a Igreja propõe a realização do “Cerco de Jericó”. Sete dias e sete noites de adoração ao Senhor, vivo e presente em corpo, sangue, alma e divindade na hóstia consagrada. O intuito é levar os fieis a uma reflexão profunda, meditando sobre os muros que, por vezes, nos separam de uma vida mais santa, nos separam do Senhor e do seu Divino Amor.

            Neste ano, nossa paróquia realiza o VIII Cerco de Jericó, com o tema: “No testemunho jovem das Sagradas Escrituras, celebramos e adoramos o Senhor Jesus!” “Eu me lembrarei da aliança que fiz contigo no tempo de tua juventude!” O tema faz menção ao “Ano Diocesano da Juventude”, proposto pelo bispo diocesano, Dom Pedro Cunha Cruz. Este grande momento de reflexão e devoção a Jesus Sacramentado, acontece do dia 17 ao dia 24 de novembro, como de costume, na semana que antecede a solenidade de Cristo Rei do Universo, quando se finda mais um ano litúrgico.

            Programe-se! Não deixe de reservar um tempo para adorar ao Senhor e rezar junto dEle. Sua pastoral, movimento, sua comunidade, estão devidamente escalados para estar na presença de Jesus Eucarístico. Fieis ao tema deste ano, rezemos de forma especial pelos jovens! Dom Pedro Cunha Cruz, bispo diocesano, no “Dia Nacional da Juventude” realizado no mês de outubro, ressaltou de forma muito forte a importância da juventude para o bem da Igreja. Eis suas palavras na homilia da Santa Missa que fez parte desse grande encontro de jovens de nossa diocese: “Ouvimos falar muito que ‘os jovens são o futuro da Igreja.’ E vista tamanha importância desta força jovem nesta caminhada eclesial, afirmo que os jovens são, também, o presente da Igreja!”

            Vivamos, irmãos e irmãs, intensamente, estes dias de graça em nossa comunidade paroquial. Na presença do Senhor, entreguemos nossas vidas, nosso servir, clamemos por nossas necessidades. Mas, sobretudo, sejamos gratos ao Senhor pelas graças que nos são constantemente concedidas.

            “Ó vinde, adoremos!”

 

José Antônio Júnior de Sousa
Pastoral da Comunicação