Maria, Mãe e Consoladora dos Enfermos.

            Em toda história da humanidade, Maria, Mãe dos Aflitos e Enfermos, sempre intercede e caminha com seus filhos em toda jornada da vida. Quem de nós não recorreu a Mãe de Deus nos momentos de doença, da fragilidade humana?
         Assim se passava, no ano de 1858, nas cercanias de Lourdes, França, na gruta Massabiele, a Virgem Santíssima aparece a uma jovem camponesa, frágil, asmática, vivia com grande simplicidade e pobreza, Venerada Santa Marie-Bernard Soubirous ou Santa Bernadete.
             Essa jovem santa deixou por escrito um testemunho :
            “Certo dia, fui com duas meninas às margens do Rio Gave buscar lenha. Ouvi um barulho, voltei-me para o prado, mas não vi movimento nas árvores. Levantei a cabeça e olhei para a gruta. Vi, então, uma senhora vestida de branco; tinha um vestido alvo com uma faixa azul celeste na cintura e uma rosa de ouro em cada pé, da cor do rosário que trazia com ela. Somente na terceira vez, a Senhora me falou e perguntou-me se eu queria voltar ali durante quinze dias. Durante quinze dias lá voltei e a Senhora apareceu-me todos os dias, com exceção de uma segunda e uma sexta-feira. Repetiu-me, várias vezes, que dissesse aos sacerdotes para construir, ali, uma capela. Ela mandava que fosse à fonte para lavar-me e que rezasse pela conversão dos pecadores. Muitas e muitas vezes perguntei-lhe quem era, mas ela apenas sorria com bondade. Finalmente, com braços e olhos erguidos para o céu, disse-me que era a Imaculada Conceição”.
            A Santíssima Virgem, Imaculada Conceição, em Virtude dos méritos de Jesus Cristo, pede para que rezemos pela conversão dos pecadores, através de penitência e oração.
         Lourdes é a casa do Enfermo, um santuário que recebe milhares e milhares de peregrinos, há registro de inúmeras curas onde a fé transpõem a ciência e a medicina até os dias atuais.
         Jesus é o médico dos médicos, Maria é a servidora, com carinho costumo chamá-la, Enfermeira do Céu, mostrando-nos Jesus nos dias de sofrimento, dor e angústia, ensinando-nos a estar de pé diante da Cruz.
           “Deixo aqui uma lembrança que marcou minha vida, no primeiro dia de formado como Enfermeiro, me deparei no final de um plantão noturno, quando passava visita nos quartos, uma auxiliar de enfermagem, colocou nos meus braços, um recém nascido sem vida, voltei para a sala do berçário e iniciei a manobra de reanimação até que o pediatra chegasse. Senti no meu coração de pedir à Virgem Maria, seu auxílio, e quando clamei, após alguns minutos o recém nascido retornou gorfando as mamadas, com choro forte, corando seu rosto. Retornando à vida.
              Neste dia 11 de fevereiro, dia mundial do enfermo, consagremos à Nossa Senhora de Lourdes nossos irmãos doentes. Que ela rogue ao Senhor por todos nós!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Marcos Luíz de Sousa
Enfermeiro.
Renovação Carismática Católica.